09/04/14

O tempo perguntou ao tempo...


Ouve-se com frequência dizer "o meu dia devia ter 48 horas". Eu assusto-me. Gosto dos dias assim, com princípio, meio e fim. Com a calma e a pausa que a noite traz. Gosto de descansar. Adoro dormir. Amo a minha cama. E, por isso, para mim os dias estão perfeitos assim. O que não se faz num dia há-de fazer-se no outro. O que é urgente pode esperar. Porque a urgência somos nós que a definimos. E, para mim, urgente é a vida, a presença nos dias do meu filho, vê-lo brincar, crescer, ouvir-lhe cada primeira palavra. Vê-lo cair e levantar-se, estar presente quando chora para o acalmar. Sentir o abracinho bom dele à volta do meu pescoço. Por isso, há dias em que o tempo é só para ele. Para nós. E estes sim, podiam ter muito mais de 24 horas, podiam ser a vida toda.


Sem comentários:

Enviar um comentário