02/01/14

Amar


Dar. Darmo-nos. Pode ser banal. Afinal, há tantas coisas essenciais que hoje são vistas como banais. Que seja. Mas que essa ilusória banalidade não nos impeça de sermos mais uns pelos outros, de estarmos mais atentos a quem está ao nosso lado, de arrancarmos um sorriso a quem está a passar por maiores dificuldades. Que neste novo ano sejamos capazes de aceitarmos antes de criticarmos, de ouvirmos antes de julgarmos. Que sejamos capazes de criar relação, laços, vínculo. Verdadeiramente. Que seja um ano com mais amor. Essa palavra tão banalizada também, mas que carece de gestos muito mais profundos e sinceros. Sim, "quero lembrar que sou pelo amor, suas virtudes e armas" (Fernando Assis Pacheco). Que seja banal, cliché, utópico, irreal. Este é o meu mantra: amar sempre, amar mais.
 

1 comentário:

  1. Obrigada pelas sábias e belas palavras ! FEliz ano!!! Beijinho

    ResponderEliminar