18/12/13

Natal


Para mim, o Natal sempre teve uma magia difícil de explicar. Talvez seja a luz. Ou a fé. Ou os rituais que se repetem todos os anos. Talvez seja tudo isso junto e muito mais. Gosto da ideia que há coisas que não se explicam. Somos tão racionais, sempre a querer encontrar justificações para tudo... Para mim, às vezes a resposta é mesmo "porque sim", ou talvez mais "porque sinto". Isso basta. O que sinto. E a magia continua cá. Independentemente da idade (sempre me disseram que passava com a idade), ou das dificuldades, ou de ter perdido o meu querido avô num dia 26 de dezembro, ou de tudo o que parece querer apagar essa luz que me encanta (ainda e sempre, espero!). Também me disseram que quando tivesse filhos ia ser diferente. Nem isso. A magia é a mesma, porque já a sentia. Há coisas que se mantêm e ainda bem. Porque nem tudo é como nos dizem que vai ser. Aliás, para mim, pouca coisa mesmo.
Por isso, por aqui o Natal é vivido em gestos e palavras simples, em silêncio e com música, mas sempre com luz e magia.

Sem comentários:

Enviar um comentário